Este blog foi desativado em 10/03/2014. Visite o novo projeto: Como está escrito

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

O jovem cristão e o sexo - parte 8 14



O jovem cristão e o sexo - parte 8

Sexo oral

Há bastante gente que têm uma visão desconfiada sobre esta forma de prazer sexual. Não a acham pura; afinal, a boca foi feita para comer e louvar a Deus, e não se deveria usá-la para fazer carinhos nos órgãos sexuais, que são impuros. Já falei sobre este assunto numa postagem anterior, e, creio, não deve haver mais dúvidas que todas as partes do corpo humano são dignas, pois Deus as fez; se assim não fosse, o corpo não seria a melhor analogia a ser usada para representar a igreja de Jesus, já que todos os crentes, de todas as épocas, fazem parte de um único corpo, sem detrimento de parte alguma (leia 1 Co 2.12 para uma melhor compreensão). Beijos e carinhos são válidos em todas as partes do corpo; depende do gosto, da vontade e da consciência de cada um. Pecado que vem da boca ou da língua não é o sexual, mas toda sorte de perversidades e maledicências que provém do mau uso dela: a boca fala do que o coração está cheio (Lc 6.45).


Sexo anal

Se o sexo oral é controverso, o anal é ainda mais. Normalmente, esta forma de prazer sexual é relacionada a sodomia. Sodomia é a prática dos moradores de Sodoma, cidade que foi inteiramente destruída por Deus por causa de sua imoralidade. Vamos analisar algumas passagens bíblicas que falam a respeito deste assunto.

1 Coríntios 1:26-27 - Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.


Neste versículo, a expressão “mudaram o uso natural, contrário à natureza”, não se refere a como um homem e uma mulher fazem sexo, mas sim à homossexualidade, tanto feminina quanto masculina que imperava na sociedade da época. O homossexualismo é contrário à natureza, já que Deus no princípio fez macho e fêmea. Tão contrário quanto ter mais de um homem ou de uma mulher, contrário como homens ou mulheres deitando-se com animais. E a palavra “semelhantemente” deixa ainda mais claro do que se trata. Os homens, SEMELHANTEMENTE (às mulheres), deixaram o uso natural (delas) para inflamarem-se uns com os outros, homem com homem.

1 Coríntios 6:9-10 - Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.


Atentemos para a palavra “sodomitas”. A palavra no original grego é arsenokoites, é formada por duas palavras: arsen (macho) e koite (cama/leito/sexo). Traduzindo literalmente significa “macho que se deita com outro macho”. É bom declararmos bem o significado literal do que realmente Paulo quis dizer porque sodomita é o que pratica sodomia que, em vários dicionários de português, sodomia significa a prática sexo anal. A passagem denota, então, que o que estava sendo condenado não era o sexo anal, e sim o homossexualismo, não importando a forma como este é praticado.

Outra palavra que merece nossa atenção é efeminados. Ela é a tradução para a palavra malakos, que significa, literalmente, mole, macio, suave. Ela indica também a homossexualidade, o comportamento de homens que recebem afagos de outros homens, como se mulheres fossem.

Possivelmente, o uso destas duas palavras, juntas, queiram significar o homossexual passivo (malakos) e o homossexual ativo (arsenokoites). Seja como for, o homossexualismo é o que é condenado nesta passagem.

Tem um argumento que pode ser usado para condenar o sexo anal. O ânus, em si, é muito mais sensível do que as fortes paredes vaginais. A possibilidade de machucar é bem maior, ainda mais se não forem tomadas medidas simples de precaução e higiene. Uma passagem bíblica pode ser usada para exemplificar isto, que pode condenar o ato, mas de forma um tanto indireta. É esta:

1 Co 3.17 - Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.


Se por acaso a prática de sexo anal puder ser prejudicar o corpo da mulher ou do homem de alguma forma, estará, sim, profanando o corpo, que é o templo de Deus.

Em geral, se o ato é feito com cuidado, de comum acordo entre o casal, e não causar constrangimento para nenhum dos dois, não sendo também esta prática a única e obsessiva forma de fazer sexo, não há problemas.

Mas mesmo que a Bíblia não condene o sexo oral e o sexo anal, tudo deve passar pelo teste da consciência. Se a consciência lhe acusar, e você não ficar em paz com Deus, não faça.

Fantasias sexuais

Como foi escrito em postagem anterior, o sexo tem dois aspectos: mental e físico. Uma fantasia não passa do uso da mente como meio de excitação. Não há nenhum problema nisto. É bastante óbvio também que nem tudo o que nós pensamos é bom. Veja as outras postagens anteriores e a postagem sobre lascívia. Mas, como sempre, não deve o cristão ignorar a consciência cristã, e nem usar de outros recursos que venham a humilhar ou ferir o cônjuge.

Posições

A Bíblia não fala nada a respeito de posições corretas para o sexo. Nem de posições erradas. Portanto, o uso delas está limitado apenas pela criatividade e pela disposição física!

Locais

A Palavra de Deus nos orienta sempre a sermos discretos, sermos prudentes e respeitosos. Ninguém deveria fazer sexo em locais que causem escândalo, que possa ferir a consciência, ou ainda, que desobedeça a lei civil – uma rua, dentro de um carro, por exemplo, não é o lugar mais adequado para um casal cristão fazer sexo.

Quanto ao motel, é um lugar reservado. Se lá apenas for usado recursos que seriam lícitos à um cristão na sua própria casa, não há problema. O que pode não acontecer é usar das diversas formas de pornografia que o motel oferece. Excetuando isto, não há problema, a não ser por causa da consciência, novamente. Não é o lugar ou as coisas de lá que santifica ou demoniza, mas o uso ou não que se faz dele. A casa do cristão pode ser tão ou mais impura do que um quarto de motel. Quem faz a diferença é o crente!

comment 14 comentário(s):

Hugo Hoffmann on 22 de fevereiro de 2009 22:42 disse...

Concordo com seu posicionamento. Apesar de que a Medicina nos adverte sobre este tipo de relação; uma vez que certas doenças infecto-contagiosas, tais como a AIDS e outras DSTs são transmitidas pelo simples contato de partes sensíveis da boca, que apresentam milhares de avenidas e rodovias de veias e capilares, com o sêmen que contém inúmeras células do tecido hematopoético em seu interior.

Anônimo disse...

Ô, Leandro, e se um homossexual, pra vc, dissesse: "Ih, assim como os homens cristãos fazem sexos anal e oral - que são práticas morais - com suas mulheres, nós homossexuas fazemos o mesmo, porém com nossos bofes. Ah, mas sem o vaginal, obviamente. Mas não precisa, já temos duas formas de transar.", o que vc lhe diria?

Fernando Jatobá

Leandro Teixeira disse...

Hugo:

Os riscos de contágio, se a pessoa tem alguma DST, são praticamente os mesmos, independentemente se o casal praticar sexo vaginal, oral ou anal.

Fernando:

Eu diria que, segundo a Bíblia, o homossexualismo é pecado. Não importa se é homem com homem ou mulher com mulher. Não importa a forma de "transar". O que Deus não aprova é formas de relação sexual entre pessoas do mesmo sexo. É perversão (ou, como a Palavra diz, é abominação).
O próximo post vai ser sobre este tema, homossexualismo. Falta ainda falar também sobre outros desvios sexuais, como a zoofilia, pornografia e etc. que serão, provavelmente, abordados no próximo texto também.

Anônimo disse...

Estou à espera dos próximos posts.

Vlw !!!
Fernando Jatobá

Wilma Rejane on 10 de março de 2009 00:28 disse...

Irmão Leandro,

Indiquei seu blog para receber o selo:"Vale a pena acompanhar esse blog".

Não sei se faz seu estilo participar dessas premiações, de qualquer forma, estou lhe indicando pela qualidade do seu blog.

Para conferir sua indicação é só visitar:http://atendanarocha.blogspot.com/

Que O Senhor o abençoe e o guarde, em Cristo: Wilma.

Daniel Grubba on 25 de março de 2009 09:50 disse...

Oi Leandro,
Muito bom o post. Devemos abordar o sexo com muita naturalidade, pois o evangélico por falta de informação, por tabus, se torna um sujeito adoecido e aprisionado.
Bom, concordo com seu posicionamento em relação ao sexo oral. Minha pergunta e a seguinte: Se a igreja que o crente pertence proíbe ou condena esta prática, o que ele deve fazer?

Leandro Teixeira disse...

Daniel Grubba disse:
"Se a igreja que o crente pertence proíbe ou condena esta prática, o que ele deve fazer?"

Existem algumas igrejas que colocam jugos desnecessários e/ou injustos sobre os seus membros.

Isto acontece hoje e já aconteceu no tempo de Jesus também. Certos formalismos inclusive foram
desobedecidos pelo próprio Jesus, como o fato da lavagem cerimonial de mãos, quando os fariseus
criticaram os discípulos por comerem sem as lavar.

Assim, hoje existem igrejas que se caracterizam mais por causa da forma de se vestir do que pela
sua espiritualidade/santidade. E fica a pergunta: quanto mais eu seguir estas regras, mais
próximo de Deus estou? Ou o que faz a diferença é minha atitude diante das diversas situações da
vida e a minha consciência em paz com Ele?

Desta forma, eu penso que uma proibição deste tipo só expõe uma forma de legalismo da igreja com
o objetivo de "purificar" ou "santificar" os membros artificialmente. Por outro lado, isto pode se tornar uma pedra de tropeço para outras pessoas que não têm o mesmo posicionamento sobre este ponto. Acredito, então, que isto seria algo de foro íntimo do casal, se o desejar fazer, desde que não seja motivo de escândalo para outros irmãos (não vejo o porquê ficar alardeando o que se faz em casa, dentro do quarto). E se a consciência do casal não lhes acusar (por, talvez, esteja "desobedecendo" o pastor), não vejo problema.

Anônimo disse...

Irmão Leandro, eu li alguns capítulos de GALATAS..
cap 2:16 dizia assim:

"Sabemos, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei, ninguém será justificado."

e cap 3:11 diz:

"E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante Deus, porque o justo viverá pela fé."

cap 5:6
"Porque em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem valor algum, mas a fé que atua pelo amor."

5:15
"Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo."


Então, eu entendi que o importa não é o fato de seguirmos a lei de Deus, pq se seguirmos tudinho ao pé da letra..sem ter amor e fé em Jesus n seremos salvos.
Como Jesus mesmo disse, que sem amor de nada adiantaria.
Outro ponto, Paulo disse que somos salvos pela fé em Jesus..
Então o que a gente faz que nos afasta da fé em Jesus.. é o que vem a comprometer nossa salvação.
E para que possamos não nos afastar do amor de Jesus, ele nos deu as leis, para não entrarmos em transgressão..
e ele disse que a lei se resume em amar o próximo. Sem amor..nada que vc faça vai adiantar e vai te salvar.
Paulo disse em Gálatas 3:19
"Qual , pois a razão da lei? Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa"
diante disso..
Se algum filho dele não seguir uma das leis, como por exemplo ter relações antes do casamento,
porém, entre os dois exista amor, não do tipo EROS, mas ÁGAPE.
Sei que hoje em dia é muito difícil existir esse tipo de amor entre os jovens..
Os homens dizem que amam porque desejam o corpo da mulher..
dizem que amam pq sentem atração e por aii vaai..
Mas não podemos generalizar, apesar de ser muito difícil, não é impossivel existir um amor incondicional,verdadeiro entre algum casal de jovens.
Mas voltando ao ponto, se essa relação for fruto de um amor sincero,
Só pelo fato de não ta seguindo uma leei que ele nos deixou.
Será que entristece o coração de Deus?
Somos justificados pelas obras ou pela fé?
Eu entendi que ele tenha nos deixado essa lei para que n venhamos a fazer coisas que nos afasste de Jesus, que ai acontecendo isso, não teria como sermos salvos. Pois Jesus disse que ele é a salvação.
mas sendo algo por amor.. não creio que nos afaste da fé. e que venha tirar a pureza do nosso coração.
entendeu o que eu quis dizer?
Eu não me expresso muito bem..rsrs
mas me orieente se eu estiver pensando errado.

Anônimo disse...

Gálatas 3:11
"E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé."

Gálatas 3:13
"Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar."

Gálatas 3:23
"Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se.
De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, afim de que fossemos justificados por fé.
Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio."

Leandro Teixeira disse...

Anônimo disse:

Irmão Leandro, eu li alguns capítulos de GALATAS..
cap 2:16 dizia assim:

"Sabemos, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei, ninguém será justificado."

e cap 3:11 diz:

"E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante Deus, porque o justo viverá pela fé."

cap 5:6
"Porque em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem valor algum, mas a fé que atua pelo amor."

============================================================

Olá irmã(o) anônimo(a).

Demorei para lhe responder, pois queria lhe dar uma resposta mais completa, pois senti que a sua dúvida é sincera. Talvez você seja um(a) recém-convertido(a), com um entendimento parecido com o que eu tinha na mesma situação. Espero estar dando-lhe a resposta mais amorosa possível. Vamos estudar as suas colocações por partes.

Primeiro, vamos entender o objetivo desta carta de Paulo aos Gálatas. Sabemos que as raízes do Cristianismo vieram do Judaísmo, crença então vigente no cenário judeu. Jesus era judeu, Paulo e os outros apóstolos também. Deus havia instituído uma aliança com o povo judeu, e esta aliança tinha alguns aspectos visíveis demonstrando esta ligação. Um sinal era feito em toda criança do sexo masculino: a circuncisão. Era a marca externa de que aquela criança fazia parte do povo escolhido por Deus, o povo herdeiro da promessa.
Após a vinda de Cristo, não mais era necessário fazer circuncisão; bastaria a fé no sangue redentor de Cristo para que alguém se tornasse herdeiro da promessa e fosse feito integrante do povo de Deus. E isto valia para qualquer um, judeu ou gentio (Gl. 3.11; Gl. 5.6). O sinal externo que era requerido é o batismo.
Paulo estava, em primeiro lugar, repreendendo os gálatas porque obrigavam os gentios a, além de se batizar, se circuncidar, para que então ele fosse salvo. Isto tornava a obra de Cristo na cruz totalmente inútil, pois se alguém poderia ser salvo pela circuncisão e obras da lei, não haveria necessidade do perfeito e completo sacrifício do Filho de Deus (Gl 2.21). A justificação (isto é, o ato divino de declarar alguém justo), só vem pela fé na obra de Jesus, e não pelo simples cumprimento das leis de Êxodo 20 que, aliás, é impossível para o homem.
Para que serve a Lei, então, se não pode ser cumprida pelo homem? Inicialmente, para definir o que é transgressão, pois sem Lei a ser transgredida, não existe pecado (Gl. 3.19). E também porque a Lei claramente nos mostra que temos necessidade de um Salvador, pois não podemos nos salvar por nós mesmos. E, de fato, ela nos conduziu até Cristo, no qual cremos pela fé que somos salvos, pois Ele cumpriu toda a Lei (Gl. 3.22-29).

============================================================
Anônimo disse:
Então, eu entendi que o importa não é o fato de seguirmos a lei de Deus, pq se seguirmos tudinho ao pé da letra..sem ter amor e fé em Jesus n seremos salvos.

============================================================

Como escrevi acima, para fins de salvação, a Lei é insuficiente, porque nenhum ser humano consegue não pecar nunca. Em Romanos 3.10-12, Paulo diz que todos se perderam e juntamente se fizeram inúteis. Para ser salvo, devemos ter fé no Redentor, Jesus Cristo, na obra de expiação, morrendo em nosso lugar.
Nós não devemos praticar as boas obras, seguir um por um dos mandamentos de Deus, para conseguir a salvação. Mas isto não nos isenta (nós, os crentes) de fazer boas obras, e também da obediência aos mandamentos, pois são claramente deduzidos e esperados daqueles de se dizem mortos para o pecado. Se estamos mortos para o pecado, como podemos ainda viver pecando? (Rm 6.1-7). É preciso praticar boas obras POR SER SALVO, e não PARA SER SALVO.

============================================================
Anônimo disse:
5:15
"Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo."

(...)

Como Jesus mesmo disse, que sem amor de nada adiantaria.
Outro ponto, Paulo disse que somos salvos pela fé em Jesus..
Então o que a gente faz que nos afasta da fé em Jesus.. é o que vem a comprometer nossa salvação.
E para que possamos não nos afastar do amor de Jesus, ele nos deu as leis, para não entrarmos em transgressão..
e ele disse que a lei se resume em amar o próximo. Sem amor..nada que vc faça vai adiantar e vai te salvar.

============================================================

Os 10 mandamentos do Senhor se dividem em dois grupos. Os 4 primeiros se referem ao relacionamento adequado entre o homem e Deus. Os outros 6 são instruções de como os homens devem viver entre si. Jesus resumiu estes mandamentos em apenas 2: o primeiro, amar a Deus sobre todas as coisas. O segundo, semelhante a este, é amar aos outros como a si mesmo. Não é a anulação dos 10 mandamentos e a afirmação de 2 novos; é a ampliação dos 10 originais. Amar a Deus acima de tudo implica em fazer tudo o que os 4 primeiros mandamentos explicitam e muito mais. E amar ao próximo como a si mesmo indica tudo o que os outros 6 mandamentos declaram e ainda mais do que isto.
Mas devemos ter cuidado com o que pensamos sobre o amor. Existem os amores naturais, entre eles a afeição (storge), o erótico (eros) e a amizade (philos), e existe o amor divino (ágape). Todos os tipos de amor têm sua origem em Deus, pois Ele é amor. Quando Deus ama, faz o que lhe é próprio. Já o homem, não. Ele tem amor (pois Deus o habilitou para isto) e o manifesta de uma forma ou outra, pois o homem é feito à imagem e semelhança do Pai. Ocorre que o pecado pode deturpar a forma como amamos. Os amores naturais, belos em si mesmos, porém dependentes de um amor maior, tendem a se descontrolar quando esquecemos ou ignoramos que a fonte dele é Deus. Ao invés de amarmos as pessoas, tendemos a 'amar o amor' que temos pelas pessoas. E isto é terrível, porque tudo se torna justificável, inclusive as atitudes mais perversas, pois estamos "amando". Idolatra-se o amor. Como Lewis cita em seu livro Os quatro amores, "quando o amor vira um deus, ele se transforma num demônio". O amor é uma ação, uma atitude; não é o objeto que se deve amar.
Destarte, alguém pode usar esta desculpa (a de que por amor tudo é válido) para justificar o homossexualismo, por exemplo; para justificar pedofilia, para justificar o extermínio de uma vizinhança hostil, justificar o encarceiramento de filhos pelos pais, matar alguém por causa de ciúmes ou para tomar-lhe o dinheiro por amar a riqueza... e assim por diante. É fácil perceber as consequências desta filosofia.
Além disto, existe uma priorização do amor. Os dois mandamentos deixados por Jesus não são de importância idêntica. Amar a Deus sobre todas as coisas está acima de qualquer outro amor, inclusive o de amar o próximo e o amor-próprio. Os três amores naturais (storge, eros e philos) são dependentes do amor divino (ágape) não só pela existência, mas também porque ágape limita o raio de atuação daqueles, evitando excessos, para mais ou para menos. Por exemplo: na situação em que alguém se depara entre uma escolha moral de obedecer ao amor de Deus e obedecer a algum amor natural, por exemplo, devemos escolher o amor a Deus; e entre amar (ágape) a Deus e amar (ágape) a uma pessoa, devemos escolher Deus, novamente (Mt 10.37).
Obviamente, o caráter destas escolhas vai determinar se amamos ou não a Deus. A Palavra diz que amamos a Deus quando obedecemos aos seus mandamentos (1Jo 2:3-6; 1Jo 3:24); e diz também que não amamos a Deus quando dizemos "Senhor, Senhor!" e não fazemos o que Ele nos orienta (Mt 7.21,24).


============================================================
Anônimo disse:

Paulo disse em Gálatas 3:19
"Qual , pois a razão da lei? Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa"
diante disso..
Se algum filho dele não seguir uma das leis, como por exemplo ter relações antes do casamento,
porém, entre os dois exista amor, não do tipo EROS, mas ÁGAPE.
Sei que hoje em dia é muito difícil existir esse tipo de amor entre os jovens..
Os homens dizem que amam porque desejam o corpo da mulher..
dizem que amam pq sentem atração e por aii vaai..
Mas não podemos generalizar, apesar de ser muito difícil, não é impossivel existir um amor incondicional,verdadeiro entre algum casal de jovens.
Mas voltando ao ponto, se essa relação for fruto de um amor sincero,
Só pelo fato de não ta seguindo uma leei que ele nos deixou.
Será que entristece o coração de Deus?
Somos justificados pelas obras ou pela fé?
Eu entendi que ele tenha nos deixado essa lei para que n venhamos a fazer coisas que nos afasste de Jesus, que ai acontecendo isso, não teria como sermos salvos. Pois Jesus disse que ele é a salvação.
mas sendo algo por amor.. não creio que nos afaste da fé. e que venha tirar a pureza do nosso coração.
entendeu o que eu quis dizer?
Eu não me expresso muito bem..rsrs
mas me orieente se eu estiver pensando errado.

============================================================

Conforme eu havia dito antes, temos de amar, com certeza; mas não devemos "amar" ou "idolatrar" o amor que temos pelas pessoas, pois isto justificaria diversas coisas claramente contrárias à vontade de Deus. De fato, damos vazão a diversos desejos "em nome do amor". Mas isto não nos isenta do pecado e da culpa. Se nosso Deus nos disse para amá-lo acima de todas as coisas, não vejo nenhuma escapatória.
Por exemplo, eu não duvido que haja realmente amor verdadeiro num relacionamento homossexual. Entretanto, este tipo de relacionamento é proibido por Deus; consequentemente não devo alimentar esperanças de que Deus vai "fazer vista grossa" a esse comportamento só porque o amor entre os parceiros é verdadeiro. O amor (e a obediência, por conseguinte) a Deus deve ter primazia. Outro exemplo: entre escolher amar minha namorada ou namorado e amar a Deus, deve-se ficar com esta última opção, pois é a certa e que agrada a Ele. A cada escolha certa que fazemos, nos santificamos; a cada erro, ficamos mais impuros e mais distantes de Deus. Os erros são perigosos, uma vez que ele nos afasta da verdade, evitando que o Espírito Santo nos avise de outros erros. Entenda a seguinte analogia: imagine uma sala cheia de obstáculos que podem te ferir, e você deve movimentar-se por ela. A cada decisão acertada (conforme a lei divina), a sala vai ficando mais clara, e você consegue discernir melhor os obstáculos, evitando machucados. Mas, a cada decisão errada, a sala vai ficando cada vez mais escura e a probabilidade de você se machucar e errar mais ainda aumenta, por avaliar mal o que há à sua frente. Pior ainda: dependendo do ferimento, ele pode ser mortal.
Então, resumindo: cada pecado te afasta mais de Deus, e a cada tentação suportada, Deus se agrada, pois você está amando, e desta vez, amando certo.
Desta forma, é claro que uma relação sexual fora do casamento desagrada ao Pai, e faz com que os envolvidos fiquem mais distantes dEle. Mesmo que haja um verdadeiro amor entre eles, você está dando preferência a este amor (seja ele Eros, ágape, etc) ao parceiro do que o amor à Deus, geralmente expresso quando obedecemos à sua vontade. E isto é pecado: fere o 1º mandamento (deixando de amar a Deus sobre todas as coisas), o 2º (pois você está elegendo um deus - você mesmo ou o seu parceiro, ou o amor que você sente pela pessoa. Lembre-se que não podemos servir dois senhores, ou servimos a Deus, ou servimos a outra pessoa/coisa), o 7º (adultério), o 10º (não cobiçar a mulher do próximo - porque se não é sua esposa, você pode estar desejando alguém que não vai ser seu cônjuge...) e assim por diante. Um "pecadinho por amor" desencadeia na verdade um conjunto bem grande de erros, que certamente nos afastará de Deus, porque todo pecado nos separa dEle. E quanto mais pecamos, mais temos a tendência de pecar (Gálatas 5.9), pois a mente tende a ficar 'cauterizada', ou seja, insensível ao erro (1 Timóteo 4.1-5).

Espero que tenha sido claro o suficiente!

Abraços,

Leandro.

Alessandro on 9 de abril de 2009 17:10 disse...

Olá!

Estou aproveitando este espaço para divulgar meu blog "Salvos Pelo Amor!"

Não deixem de conferir!

Abraço.

http://salvospeloamor.blogspot.com/

Hilan on 28 de abril de 2009 22:19 disse...

opa! bom blog

Anônimo disse...

Amado irmão,

Acho infeliz alguns dos seus comentários e sem base bíblica alguma. Oro para que Deus abra o seu entendimento e tenha misericórdia de ti, já que com seus textos tem levados cristãos leigos ao pecado.
Triste, saber que você afirma não ter mal algum em frequentar motéis, sendo que ele foi feito e criado para casais que na sua grande maioria em adultério se encontrarem, sabendo que é um território de satánas e o leito é maculado, sabendo que estamos sujeitos as transferências demoníacas e que alguns lugares como, terreiros, centros, motéis, prisóes possuem demônios territoriais terríveis com direito legal e adquirido. Sabendo também que algumas coisas não se santificam e que temos que ser prudentes e sensíveis ao Espírito Santo. Declaro sobre a sua vida uma nova unção o entendimento e a sabedoria do Eterno. Que os seus olhos sejam abertos para ver o mundo espiritual e as potestades que o dominam, assim também como aos anjos de Deus, Amém.

Leandro Teixeira disse...

Anônimo:

"Acho infeliz alguns dos seus comentários e sem base bíblica alguma."

Pode me dizer qual parte você acha que é antibíblica? E porque você não concorda?

"Oro para que Deus abra o seu entendimento e tenha misericórdia de ti, já que com seus textos tem levados cristãos leigos ao pecado."

Obrigado, irmão, também oro todos os dias para que tudo o que publicar seja conforme o que Deus nos ensina. Agora, qual parte do texto tem levado alguém ao pecado?

"Triste, saber que você afirma não ter mal algum em frequentar motéis, sendo que ele foi feito e criado para casais que na sua grande maioria em adultério se encontrarem"

Agora tem lugar certo para adulterar? Qualquer lugar pode ser usado: tem gente que adultera na própria cama onde dorme com a esposa/marido. Agora, devo considerar que aquele quarto é amaldiçoado? Imagine os hotéis... como vou saber em que quarto me hospedar com minha esposa? Será que alguém fez sexo ilícito lá antes?

", sabendo que é um território de satánas e o leito é maculado, sabendo que estamos sujeitos as transferências demoníacas e que alguns lugares como, terreiros, centros, motéis, prisóes possuem demônios territoriais terríveis com direito legal e adquirido. "

Me diga, meu caro: uma casa foi construída onde antes era um motel. Você moraria nela? Ou se construissem uma igreja ali: você congregaria nela? Agora acho que é caro irmão que está estrapolando o que diz a Palavra. Talvez influenciada por escritos nada sadios de Rebecca Brown, Kenneth Hagin, Peter Wagner, Neuza Itioka, entre outros.

"Sabendo também que algumas coisas não se santificam e que temos que ser prudentes e sensíveis ao Espírito Santo."

Concordo que devemos ser prudentes. Por isto o meu aviso: se sua consciência lhe acusar, não vá. Pronto. Não estou obrigando ninguém a ir lá. Afinal, o que não provém de fé é pecado, não é mesmo?

"Declaro sobre a sua vida uma nova unção o entendimento e a sabedoria do Eterno. Que os seus olhos sejam abertos para ver o mundo espiritual e as potestades que o dominam, assim também como aos anjos de Deus, Amém."

Agradeço pela oração, mas esta história de 'nova unção' também não é respaldada pela Palavra. Leia mais a Bíblia, e menos livrinhos sobre batalha espiritual e confissão positiva.

E se não se sentir a vontade ou seguro para mostrar suas idéias, pode continuar postando anonimamente, não tem problema.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails