Este blog foi desativado em 10/03/2014. Visite o novo projeto: Como está escrito

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Que nada seja ocultado 1





Os cristãos têm aprendido muito sobre seitas e grupos não-religiosos que mantém suas práticas em segredo para os que não fazem parte dos mesmos. Como exemplo, podemos citar os maçons, os espíritas (em algumas situações), os rosacruzes, bruxos, esotéricos e outros grupos que não revelam suas verdades a quem não é iniciado ou a quem não é iluminado suficiente para entendê-las.
O que eles fazem é se aproveitar de uma característica peculiar ao ser humano: a curiosidade. Mil teorias e histórias surgem a respeito destas associações, e não poucos querem fazer parte, para saber o que acontece ou talvez orgulhar-se de simplesmente integrar um grupo que detém informações privilegiadas sobre qualquer coisa.
Inicialmente, as práticas de cada um destes grupos são estranhas, e há várias evidências contra a "inocência" delas, mas não é o assunto que quero tratar neste post. O que me deixa preocupado é que a igreja evangélica está enveredando por estes lados, inserindo modismos, para atiçar a curiosidade do povo cristão. Me refiro especialmente ao encontro com Deus, do movimento G12.
O encontro, dizem os entusiastas, leva a pessoa a ter um encontro frente-a-frente com Deus, onde você não terá como fugir - um confronto - e terá um recebimento de poder para realização da obra dEle. Mesmo quem é velho na igreja deve passar por este encontro, pois ele é "tremendo". Aliás, isto é a única coisa que pode se falar a respeito do que acontece lá.
Pois bem. Eu participei do encontro. Mas, como sempre (e esta é uma característica natural minha), fui um pouco resistente ao que se ensinava. Não era batizado nesta época, mas buscava intensamente a Verdade, através da Bíblia. Em resumo, eu entrei com um objetivo em mente naquele retiro (pois basicamente é isto que o encontro é) e não me desgarrei dele. Pedi a Deus, em oração, a manter minha mente e meu coração bem atentos, para que não se passasse nada despercebido.
Para resumir a história, o que eu queria neste retiro, Deus me deu. Quanto ao restante dos processos ocorridos lá, tenho várias críticas, mas, como falei antes, não é o assunto principal deste texto. O que quero é deixar claro que o que Deus nos deu, devemos dar aos outros da mesma forma. Não vejo razão alguma para esconder o que acontece no retiro. Até mesmo porque, o que é bom, as pessoas vão querer. E mais. Vão querer pelo motivo certo. Se Deus vai nos abençoar grandemente num retiro, eu quero ir por causa disto, e não simplesmente para fazer parte de um grupo que esconde um segredinho e ainda fica se vangloriando disso para os outros.
Essa ocultação ainda dá "pano pra manga" para críticas, de crentes e descrentes. A igreja fazendo coisas iguais à grupos ocultistas! O encontro não é mal, mas também não é totalmente "bom"; como falei antes, muitas coisas são discutíveis. Acredito que as coisas de Deus devem ser feitas às claras, pois "Deus é luz, e nele não há treva alguma" (1 Jo 1.5), e nós somos sal da terra e luz do mundo (Mt 5.11-16).

comment 1 comentário(s):

Victor Leonardo Barbosa on 24 de julho de 2007 21:50 disse...

parabéns pelo artigo, eu tenho essa mesma preocupação, pois hoje em dia movimentos como o G-12 e seus afilhados utilizam essa "estratégia divina" para "atrair pessoas para Cristo", a meu ver isso não possui nenhuma base bíblica.

Deus o abençoe!!!
Soli Deo Gloria

victor Leonardo
gqlgeracaoquelamba.blogspot.com

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails