Este blog foi desativado em 10/03/2014. Visite o novo projeto: Como está escrito

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Maldições Hereditárias 2



[Atualizado em 08/07/2011]


Introdução


Enquanto caminhávamos perdidos pelo mundo, antes de nossa conversão, éramos como ovelhas sem pastor. Estávamos escravizados pelo pecado, e sob o domínio das potestades do mal. Não tínhamos a quem recorrer, nem como nos defender. Fazíamos parte do reino de Satanás. Alguns tinham "pactos" explícitos, consagrando-se ao demônio, em troca de algum favor especial. Outros tinham vícios, dos quais não conseguiam se libertar; e ainda havia os que eram moralmente depravados. Alguns tinham "pactos" explícitos, consagrando-se a poderes malignos, tentando obter, em troca, alguma espécie de favor. Possuímos vícios e tínhamos práticas más, porque todos os homens são moralmente depravados e incapazes de fazer algum bem com utilidade para a salvação.

Ao aceitarmos a Cristo, somos regenerados. Quando Deus eficazmente nos chama, somos regenerados. Aceitamos a obra de Cristo na cruz. Nos tornamos filhos de Deus. Não estamos mais sob o domínio de Satanás. Fomos comprados por bom preço. Cristo, na crucificação, despojou Satanás, expondo-o à vergonha. Ele foi derrotado ali, pela cruz. Na vida do crente, o diabo não tem mais poder algum, nenhuma maldição, nenhuma praga pode nos atingir.

Quando um reino é destruído por outro, nenhum acordo do servo que porventura tenha sido feito com o rei derrotado mantém sua validade (a não ser que a pessoa queira). Quando um servo é comprado por outro dono, o antigo não tem mais poder sobre ele.

Maldição hereditária


Existe uma modinha no arraial evangélico chamada "quebra de maldições", e dentro dela, as maldições hereditárias. Esta "doutrina" diz que o crente, mesmo que já tenha aceito a Cristo como Senhor e Salvador sido regenerado pelo novo nascimento, pode sofrer com maldições proferidas por antepassados, ou pactos firmados por ele ou um parente seu, mesmo em algum passado longínquo. Se ele não quebrar tais pactos, e não renunciá-los explicitamente, eles ainda terão validade na sua vida. Segundo as palavras de um dos defensores da doutrina, aqui no Brasil:

A maldição é a autorização dada ao diabo por alguém que exerce autoridade sobre outrem, para causar dano à vida do amaldiçoado... A maldição é a prova mais contundente do poder que têm as palavras. Prognósticos negativos são responsáveis por desvios sensíveis no curso da vida de muitas pessoas, levando-as a viver completamente fora dos propósitos de Deus... As pragas se cumprem. - Jorge Linhares, Bênção e Maldição, p. 16.

Mas vamos para a Bíblia. Penso que ela é suficiente para convencer acerca do tema maldição hereditária.

Base para a doutrina da Maldição Hereditária


Comumente, os diversos defensores desta doutrina afirmam que a passagem em Êxodo 20.4-6 é um claro apoio a ela. Vejamos:

Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

Vamos trabalhar em partes.
Este versículo é uma proibição contra a idolatria: "Não farás para ti imagem de escultura (...)Não as adorarás, nem lhes darás culto(...)"


Há a explicação do porquê do mandamento: "(...)porque EU sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso (...)"
Conseqüências da desobediência a este mandamento: "(...)visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem (...)"


Quem "visita", ou seja, é o executante da maldição? "(...)eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais (...)"


O que significa "zeloso"? "Acrescenta-se que o Senhor é um Deus zeloso, para demonstrar que ele não tolerará rival algum, e sim vingará o insulto cometido contra a sua glória, se esta for transferida a criaturas ou imagens de escultura; e que essa vingança será visitada nos netos e bisnetos, visto que estes seguirão nos maus passos dos seus pais". (J. P. Willes. Ensino Sobre O Cristianismo. São Paulo: PES, 2002, p. 177.)

Os pais são os principais responsáveis pela educação religiosa dos seus filhos. Se eles falharem neste propósito, sendo idólatras, por exemplo, tal exemplo será ensinado aos filhos, deixando-os ignorantes a respeito da vontade e da lei de Deus, fazendo-os continuar na idolatria. Assim, deste jeito, os filhos seriam punidos, pela mesma causa da punição dos pais.

Resumindo, este versículo restringe a punição ao caso da idolatria, e mesmo assim, se os filhos seguirem no mesmo erro dos pais. E o autor da maldição, neste caso, é Deus, pois é Ele quem visita. De forma alguma apoia a doutrina de que qualquer maldição proferida por outras pessoas tenha o mesmo efeito.

Como regra de uma boa interpretação bíblica, devemos encontrar passagens mais claras que expliquem passagens ‘obscuras’. Um versículo que acaba com todas as dúvidas é Ez 18.20:

A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele. Ezequiel 18:20 
É bom ler o capítulo 18 de Ezequiel inteiro. No versículo 2, diz Deus: "Que pensais, vós, os que usais esta parábola sobre a terra de Israel, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram?". Numa linguagem mais simples, seria algo como "os pais comeram a feijoada e os filhos é que tiveram dor de barriga". E atenção ao que Deus diz no versículo 3: "Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que nunca mais direis esta parábola em Israel."

Se as colocações anteriores não foram suficientemente claras para saber se a Maldição Hereditária é bíblica, não deixe de conferir as passagens abaixo.

Jo 9:1 E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
Jo 9:2 E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Jo 9:3 Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
Jesus mesmo falou que o fato de ele ter nascido cego não era reflexo de pecados dele, nem dos seus pais.
Rom 8:1 Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
O que será que significa o "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus"?
2Co 5:17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
A palavra "tudo" significa uma coisa menor do que "tudo"? E a palavra "nova"? Algo "todo novo" pode ter algo velho?
Jo 5:24 Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.
Se eu crer, terei a vida eterna, mas se eu não renunciar aos pactos antigos, irei para o céu com as maldições dos antepassados?
1Jo 1:7 Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.
Quando a Palavra fala "nos purifica de todo o pecado", ela na verdade quer dizer isto mesmo, ou ainda temos que renunciar aos pactos antigos, pois o "todo" aqui não significa "todo"?
1Jo 4:4 Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.
Maior, que está em nós, nesta passagem, é Deus, ou são as maldições? Se for Deus, então as maldições não mais valem; se forem as maldições, Deus não tem força para nos livrar delas, a não ser que nós mesmos as ‘quebremos’. Isto não nos faria mais fortes do que Deus e o sangue de Jesus Cristo?
Gal 3:13 Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro
Se a doutrina da Maldição hereditária for verdade, este versículo é uma mentira.
Jo 8:36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
O que significa esta frase de Jesus? Se preciso mesmo assim quebrar maldições, uma a uma, após a conversão verdadeira, isto quer dizer que não fiquei verdadeiramente livre, tornando Jesus mentiroso.
1Pe 2:24 Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.
Se o sangue de Jesus é suficiente para nos livrar da maldição da lei, não seria forte o suficiente para nos livrar das maldições hereditárias?
Pv 26:2 Como ao pássaro o vaguear, como à andorinha o voar, assim a maldição sem causa não virá.
Ou seja, se não tiver fundamento (falha própria do ‘amaldiçoado’), tal maldição não se concretizará.

Para dar validade a esta doutrina estranha, teremos que invalidar estes versículos acima, tornando o sacrifício de Jesus inútil, ou simbólico, alegórico.

comment 2 comentário(s):

Daladier Lima on 1 de outubro de 2007 16:56 disse...

Excelente seu post sobre Maldição Hereditária. Irei referenciá-lo em meu blog Reflexões Sobre Quase Tudo - http://daladier.blogspot.com, se puder visite-nos.

Paulo J on 2 de outubro de 2007 15:36 disse...

Oi Leandro, se puder dá uma olhada lá no blogue "Design Inteligente" - http://designinteligente.blogspot.com/

Abraços

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails