Este blog foi desativado em 10/03/2014. Visite o novo projeto: Como está escrito

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Ciência e Teologia - 1 6



Áreas de atuação

Teologia: abrange os assuntos sobre Deus e sobre a criação feita por Ele (a natureza);

Ciência: abrange os assuntos acerca da natureza (das coisas criadas);

A Verdade Absoluta não é propriedade de um tipo de matéria só (e.g. Física, Química, Biologia, Matemática, Teologia), mas todas estas matérias devem contribuir para a construção dela.

Se estudarmos individualmente cada matéria, sem levar em consideração as outras, podemos chegar a conclusões que serão contraditórias.

Representação:

Outra forma de entender:

Física: estuda tudo o que é material (e.g. plantas, rochas, animais);

Metafísica: estuda tudo o que é imaterial, aquilo que está além da matéria (e.g. lógica, o pensamento, sentimentos, Deus).

Logo, a ciência (como a conhecemos) trabalha com a Física. A Teologia estuda a Metafísica e as suas implicações no mundo da Física.

Só o que é cientificamente comprovado é verdadeiro?

Esta afirmação NÃO pode ser verdadeira, porque ela é uma afirmação que usa a lógica. A lógica é uma coisa imaterial (metafísica); portanto não é objeto de estudo da ciência. A ciência não pode “provar” que pensamos; de fato, a ciência pressupõe que o nosso pensamento é válido e é confiável para estudar o mundo. Entretanto, o pensamento é algo real que não pode ser provado cientificamente.

Princípio fundamental da ciência

Princípio da CAUSALIDADE

  • Todo evento tem uma causa;
  • Tudo que é finito e limitado precisa de uma causa;
  • Tudo que teve um início deve ter uma causa.

Deus foi causado?

Se eu lhe perguntar: “Quem te fez?”, você responderia “Meus pais”. “E os seus pais?” Você responderia “Os pais deles” e assim por diante, até chegar ao primeiro ser humano. Perguntaria: “Quem fez o primeiro ser humano?”. “Deus” – você poderia responder. Aí vem a pergunta fatal: “Quem fez Deus?”.

Usando o princípio da causalidade, alguém teria que ter criado Deus. Mas e este outro ser? Quem seria? Aqui devemos ter cuidado. O Princípio da Causalidade não diz que tudo tem uma causa, ele diz que tudo que teve um começo deve ter uma causa.

Três opções para a causa da existência de Deus:

1 – Ele é um ser causado;

2 – Ele é um ser auto-causado;

3 – Ele é um ser não-causado;

A 1ª opção não responde nada, pois precisaríamos de um ser mais poderoso que Deus para tê-Lo criado, e não há nenhuma evidência da existência deste ser.

A 2ª opção é logicamente impossível. Para causar a Sua existência, Deus já deveria existir. Mas para começar a existir, Ele não deve existir ainda. Esta hipótese diz que Deus deveria existir e não existir ao mesmo tempo. E isto é completamente impossível.

A 3ª opção é a que nos responde adequadamente. Um ser eterno não precisa ser causado. A frase “O que havia antes de Deus existir?” não faz nenhum sentido. Deus sempre existiu, então não há um “tempo” antes disto. Esta hipótese é perfeitamente idêntica ao que a Bíblia nos diz sobre Deus: que Ele é eterno, que não havia ninguém antes dEle, nem haverá alguém depois. Ele não é causado por nada, nem ninguém. Ele é a causa primeira de todas as coisas que existem.

Tipos de ciência

  • Ciência OPERACIONAL: trata dos eventos reproduzíveis em laboratório (e.g. formação da molécula da água – 2 H + 1 O = H2O).
  • Ciência das ORIGENS: trata dos eventos não-reproduzíveis em laboratório, nem espontaneamente (e.g. surgimento do universo, surgimento da vida).

Apelar para um criador anula o método científico?

NÃO, porque a Ciência estuda as causas 2ª dos efeitos verificáveis. No exemplo acima (da luz branca sendo decomposta nas várias cores), a ciência verá o espectro de cores e vai estudar o que o causa. Descobrirá que a causa é o prisma, quando a luz branca passa por ele. Então, poderá estudar a origem da luz, e descobrirá que é a energia que causa a luz. Mas ao estudar a energia, ele pára, porque o método científico não estuda o que vai além da Física, que, neste caso, se refere ao Criador inicial de todas as coisas que nós, cristãos, conhecemos como sendo Deus.

Surgimento do Universo:

A matéria que estuda os corpos celestes é a Astronomia. A Astronomia se divide em dois principais ramos:

  • Cosmologia: é a CIÊNCIA OPERACIONAL da Astronomia, que estuda as leis físicas e químicas que ocorrem em todo o Universo;
  • Cosmogonia: é a CIÊNCIA DAS ORIGENS da Astronomia, que estuda as teorias do surgimento do Universo.

Quando se pensa em uma teoria do surgimento do Universo na Cosmogonia, é imprescindível que ela não venha a ser incompatível ou que contrarie as leis físicas e químicas da Cosmologia; afinal de contas, elas tratam do mesmo objeto: o Universo. Então, a Cosmologia dá os fatos; e a Cosmogonia tem que entender qual o sentido destes fatos.

Leis fundamentais da Ciência Operacional:

Há algumas leis que são muito bem fundamentadas no campo científico. Isto quer dizer que elas foram bastante experimentadas a ponto de serem consideradas infalíveis e inevitáveis.

LEIS DA TERMODINÂMICA:

1ª Lei da Termodinâmica: A energia não pode ser criada nem destruída. A quantidade de energia sempre se mantém constante, muito embora ela se transforme de um tipo para outro.

2ª Lei da Termodinâmica: A energia utilizável de um sistema fechado e isolado sempre diminui.

Três hipóteses sobre a existência do Universo:

1 – O Universo é eterno;

2 – O Universo surgiu do nada e criado pelo nada;

3 – O Universo teve um início e foi criado.

A hipótese nº 1 é desmentida pela 2ª Lei da Termodinâmica. Podemos verificar que o Universo está “gastando” sua energia, e que ela um dia vai acabar. Por exemplo, a transformação do hidrogênio em hélio, que ocorre no sol, vai terminar assim que todos os átomos de hidrogênio forem transformados. Uma vez chegado a este ponto, o sol “morre”. E isto ocorre em todas as estrelas do Universo. Se o Universo “terminar”, é porque ele não é eterno. Não sendo eterno, deve ter tido um princípio. E, tendo um princípio, deve ter sido causado por algo ou alguém (Princípio da Causalidade).

O exemplo acima mostra um SISTEMA ABERTO, pois mesmo que a energia acabe, é possível recarregá-lo em um posto de combustíveis. Mas o universo é um SISTEMA FECHADO. Acabando a energia, não há um “posto de combustíveis cósmico” para recarregá-lo.

A hipótese nº 2 é logicamente impossível. O “nada” não pode gerar algo. O Universo não surgiu espontaneamente do nada, nem foi criado por ele, porque “uma vez o nada, sempre o nada”.

A hipótese nº 3 é a mais plausível das três. Há uma grande evidência científica e filosófica que apóia a idéia de que o Universo teve um princípio. A 2ª Lei da Termodinâmica é o pano de fundo para esta hipótese. Como visto antes, os fatos é que devem dar a luz às teorias, e não o contrário. E estas teorias não devem anular leis bem firmadas do conhecimento científico apenas para que sejam verdadeiras.

Teorias do surgimento do Universo:

  • UNIVERSO ETERNO: como visto antes, deve ser descartada, pois desconsidera a 2ª Lei da Termodinâmica;
  • UNIVERSO PULSÁTIL: para tentar remediar a questão anterior (de que o Universo acabará), foi criada esta teoria que afirma que o Universo explode, consome toda a energia, retrai-se até uma partícula fundamental, e, em seguida, explode novamente, recomeçando todo o processo. O problema é que, mesmo que o universo se contraísse novamente, ele não teria energia suficiente para uma nova explosão;
  • BIG-BANG: esta teoria afirma que o Universo surgiu de um ponto fundamental, onde toda a massa e a energia existente estiveram concentradas. A partir de certo momento, esta massa explodiu, gerando tudo o que vemos no nosso universo (galáxias, sistemas solares, planetas, cometas, asteróides, estrelas). Esta teoria vem sendo a mais bem comprovada de todas as teorias, pois há diversas evidências que sustentam esta posição.

O Big-Bang:

Existem pelo menos duas boas evidências científicas que apóiam o Big-bang:

1 – Radiação de fundo: existem, em todo o universo, traços de uma radiação que são compatíveis com a radiação que seria esperada de uma explosão da magnitude do Big-bang. Ela foi descoberta em 1919 e foi verificada posteriormente na década de 80, com o lançamento de uma sonda espacial, e finalmente confirmada em 1992, pelo satélite COBE (Cosmic Background Explorer).

2 – Universo em expansão: através de medições, pode-se verificar que os corpos celestes estão realmente se distanciando uns dos outros. Isto indica que eles, um dia, estiveram no mesmo local, e foram “arremessados” para todos os lados.

O Big-bang contraria a visão bíblica da criação?

DE FORMA ALGUMA. Gênesis 1.1 diz que “No princípio, Deus criou céus e terra”. Ele não precisa ter feito tudo instantaneamente, coisas como “de um segundo para outro, tudo que existe veio a estar como é hoje”. Podemos constatar, através de inúmeras evidências, que o Universo tem bilhões de anos. É claro que Deus, se quisesse, poderia ter criado tudo instantaneamente. Mas, neste caso, porque Ele teria criado o Universo com “uma aparência de velho”?

A Bíblia não é um tratado científico: ela pode muito bem dar a idéia principal, sem precisar dar detalhes. O versículo mencionado pode resumir o ato da criação do Universo, sem destacar o surgimento de tal galáxia, de tal planeta, de tal estrela. E este ato não precisa ter sido feito num dia, nem num minuto, nem num segundo. Aliás, a Palavra nem diz quanto tempo demorou a criação dele! E o fato de ele ter sido preparado por milhões de anos só vem a demonstrar a grandiosidade da obra de Deus.

Os cientistas, por mais que estudem as causas, vão chegar à massa inicial do Big-bang. E então o alcance da ciência chega ao seu limite. Podem se perguntar: “De onde veio esta massa inicial?”, e não vão poder explicá-la, pelo menos dentro dos limites da Física.

comment 6 comentário(s):

Sammis Reachers on 10 de julho de 2008 21:18 disse...

Excelente o conteúdo deste blog - um abrangente painel de edificação. Parabéns.

Estou linkando seu blog nos meus blogs:
Arsenal do Crente - http://arsenaldocrente.blogspot.com
e Azul Caudal - http://azulcaudal.blogspot.com
Dê uma olhada.

Que Deus continue a lhe abençoar e usar, em nome de Jesus.

Um abraço do irmão Sammis

rubenita on 17 de julho de 2008 11:44 disse...

oi sammis, nos encontramos aqui??! (sou amiga da nane, lembra?). também sou leitora do leandro... sua linha literária demonstra maturidade em vários aspectos e depois de um tempo "off" ele está retornando! prá alegria dos seus leitores!!! rs!!

abraço a ambos!

cursos de teologia on 21 de agosto de 2008 03:30 disse...

Realmente, o blog é excelente!

Um abraço fraternal!!!

Leandro Teixeira disse...

"cursos de teologia":

Obrigado pela visita, e volte sempre!

Deus lhe abençõe!

Hebert Borges on 25 de julho de 2009 13:56 disse...

Olá LEANDRO, foi com grande prazer que li essa mensagem. Gostei muito de sua maneira de expor o assunto, apesar de ser advogado.

Anônimo disse...

Amiable fill someone in on and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Say thank you you on your information.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails