Este blog foi desativado em 10/03/2014. Visite o novo projeto: Como está escrito

sábado, 12 de julho de 2008

Ciência e Teologia - 2 11



Os dias da criação



“DIA”, em Gênesis, é tradução da palavra yom. Yom = “Dia” em hebraico. Pode significar um dia de 24 horas (significado comum), ou uma era, ou um período de tempo extenso. 2 Pe 3:8 diz que, para Deus, “um dia é como mil anos, e mil anos como um dia”. Não é obrigatório crer que os dias de Gênesis sejam literais, embora Deus pudesse realmente criar tudo num instante, até mesmo mais rápido do que os seis dias usuais.

Há algumas formas de interpretação destes dias:

- cada dia é um dia literal, de 24 horas, onde as coisas citadas foram criadas;
- cada dia representa, na verdade, um período de tempo de muitos anos (milhares, milhões)
- cada dia narrado é de realmente 24 horas, onde as coisas são criadas, mas depois se passa muito tempo até o próximo dia de criação. Assim, o dia narrado na Bíblia se refere ao primeiro dia de uma era, podendo, tranquilamente, ter apenas 24 horas;
- cada dia, na verdade, não simboliza tempo, mas uma ordem na criação.

E no 7º dia, Deus descansou da sua obra criativa. Este descanso permanece até hoje. Confira em Hebreus 4.8-11. Nesta passagem, o escritor, que viveu numa época posterior à morte e ressurreição de Cristo, disse que Deus está no seu descanso. Isto quer dizer que o “dia” de descanso de Deus tem, pelo menos, alguns milhares de anos! Se o 7º Dia é assim, os outros dias (a palavra yom é usada) também podem representar um tempo bem maior.

Não confunda os versículos acima com a passagem em João 5.17, onde Jesus diz que “o meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”. Deus trabalha de duas formas: criando e sustentando. O descanso que Deus tem no sábado (7º dia) se refere ao descanso do ato de criação, não o de sustentação.

Quadros comparativos entre as eras estudadas na Geologia e a Tese da Criação Progressiva.

Perceba que os estágios podem representam cada um dos dias de criação narrados em Gênesis, e que os estágios se sobrepõem. Enquanto o estágio anterior está sendo completado, o estágio seguinte está dando início. Uma boa justificativa para este processo é que, a cada ato de criação, é necessário um tempo para que o ecossistema entre em equilíbrio. Assim que se chega neste equilíbrio, uma nova inserção criativa é feita.




comment 11 comentário(s):

Ronni Anderson on 18 de julho de 2008 20:28 disse...

Parabéns pelo blog...
Já o tenho acessado há algum tempo!
Esses quadros desse post especificamente foram copiados para o meu PC!!!
Gostei bastante!
Fica na Paz de Cristo!

Quadro Negro on 3 de agosto de 2008 04:12 disse...

Parabéns!

Voce Recebeu o PRÊMIO DARDOS
este prêmio reconhece os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais...demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.

Passe no blog
QUADRO NEGRO & CIA : estudeinosaojose.blogspot.com
e pegue o selo.

estudeinosaojose.blogspot.com

Quadro Negro on 3 de agosto de 2008 04:12 disse...

Parabéns!

Voce Recebeu o PRÊMIO DARDOS
este prêmio reconhece os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais...demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.

Passe no blog
QUADRO NEGRO & CIA : estudeinosaojose.blogspot.com
e pegue o selo.

estudeinosaojose.blogspot.com

Daniel Grubba on 6 de agosto de 2008 13:19 disse...

Muito interessante os quadros. É uma ferramenta útil para defendermos o criacionismo.
Parabéns pelo blog.
Daniel Grubba
http://dlgrubba.blogspot.com

cursos de teologia on 21 de agosto de 2008 03:24 disse...

O blog e todo o seu conteúdo são excelentes...

Parabéns pelo excelente trabalho e fique na abundante Graça!!!

Junior on 23 de agosto de 2008 16:08 disse...

Graça e Paz!

Excelente Blog.
Quando puder, deixe sua contribuição em nosso humilde espaço.

Abraços
Junior

Leandro Teixeira disse...

Olá, Junior!

Obrigado pela visita, pode deixar que lhe retribuirei em breve!

Paz!

Marins on 25 de agosto de 2008 09:53 disse...

Muito pertinente essa abordagem do criacionismo de uma forma extremamente racional. Aprecio muito iniciativas como estas que abordam o Evangelho de uma maneira inteligente e não sob um prisma de fanatismo religioso.

Excelente post, e excelente blog.

Martins

rubenita on 25 de agosto de 2008 10:51 disse...

volte a escrever, leandro...

saudade de seus (excelentes) textos!

abração!

Leandro Teixeira disse...

Paz, Martins!

Obrigado pela visita ao blog, volte sempre!

Gosto particularmente desta área apologética... não excluo os milagres, que nós sabemos que aconteceram e acontecem, mas eu penso que é uma explicação simplista demais. Não que o simples seja errado e o complexo certo, mas eu não apelo direto aos milagres, ainda mais com tantas evidências que apontam uma outra explicação!

Fique com Deus,

Leandro.

Leandro Teixeira disse...

Oi, Ruby!

Calma, calma... tem uma seqüência de postagens prontinha, saindo do forno! eheheheh


Abraços!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails